Criado em 07 Agosto 2017 Categoria: Colunistas
Imprimir

Agosto... E se o mundo acabar?

Agosto não é mês do desgosto. Agosto é mês do bom gosto. É natural que esse mês traga algumas dúvidas relacionadas às superstições e até mesmo sinalizações bíblicas.
Por exemplo, Apocalipse de São João relata um temido eclipse solar total no próximo dia 21, e muitos até chegam a acreditar que isso representa o início do fim do mundo, conforme anunciou, inclusive, a organização religiosa Unsealed.


Nos EUA, será possível ver o sol atravessando o planeta de costa a costa e, embora na Europa só se consiga ver uma parte, a importância que os teóricos evangélicos dão a esse fenômeno não é menor. Segundo eles, os escritos bíblicos fazem referências claras a esse fenômeno como de fato “o início do fim”.
Enfim, o mundo vai acabar? Não, creio que não, mas quais serão os mistérios de Deus?!?! Alguém sabe???


Bem, escrevo este editorial como uma observação para chamar a atenção sobre esses questionamentos que colocam em pauta a nossa existência terrena.
Enfim, e se o mundo realmente acabar? Simples, teremos bem pouco tempo para nos tornarmos muitoooo melhores. Como assim? Vamos lá...
Uma grande realidade da vida é que sempre vai ter alguém que vai falar da gente, criticar, agir desonestamente, e assim por diante. Encontraremos pessoas transparentes, mas também pessoas bem falsas. Isso tudo é aprendizado, mas temos que focar unicamente para o outro lado. Não temos que focar naqueles que nos levam para trás, mas sim olhar para frente. Muitas são as pessoas que olham pra gente não para ajudar, mas sim para sugar, para falar mal, para criticar. E isso tem a ver com motivação e felicidade. Como assim??? É bem isso – MO-TI-VA-ÇÃO e FE-LI-CI-DA-DE.


Cada um tem o seu caminho, cada um tem o seu formato. Quanto à motivação eu explico. Existem pessoas que “só” estão motivadas a olhar para a vida do outro, focam no que as outras fazem, no que as outras conquistam, no que as outras vão fazer. Quanto à felicidade também resumo: a pessoa feliz está no bem, na paz, na alegria, e não quer nem saber do outro, é outra energia. A pessoa feliz não atrapalha a vida alheia. Busca apenas evoluir. Agregar. Somar.
E quanto a nós? E se o mundo realmente acabar, talvez teremos um pecado marcante, entre tantos outros: “NÃO SER FELIZ”. Na nossa realidade temos o melhor quando queremos o melhor da vida, para nós e para o outro, verdadeiramente, de coração.


Somos responsáveis pela vida que temos. Estamos exatamente onde nos colocamos. Que tal nos perguntarmos agora: “Afinal, onde estamos nos colocando?” No mal, na dor? Na nossa vida ou na existência do outro?
E se o mundo acabar? Hein???


Da Redação | O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. | jornalista Elaine Matos



Leia mais em CBAnoticias.com