Criado em 08 Agosto 2018 Categoria: Colunistas 3
Imprimir

A linguagem da cor na propaganda

É preciso entender que cor é um fenômeno físico. A luz é uma onda eletromagnética que vibra numa determinada frequência produzindo uma onda que varia de 380 a 700nm (nanômetro, ou milionésimo de milímetro). Esta luz visível fica entre os raios ultravioletas e infravermelhos. Cada frequência corresponde a uma cor, começando no violeta e indo até o vermelho.

Entretanto, a própria luz visível é apenas uma parte de uma extensão maior de frequências eletromagnéticas, essas frequências caminham pelo espaço em ondas. A luz visível, também chamada, popularmente, de branco, é composta pelas cores e somente através de um prisma é que podemos enxergar neste espectro as cores separadas formando um arco íris. Quando um feixe de luz atinge algum objeto colorido, uma maçã, por exemplo, uma parte deste feixe é refletida, enquanto o restante é absorvido pelo objeto. A cor que vemos correspondente à frequência refletida. Isso quer dizer que a cor de um objeto é justamente a cor (ou cores) que o objeto “não tem”, ou seja, não absorveu. A maçã é vermelha porque a fruta absorveu todas as cores, menos vermelho – que é refletido para o nosso olho.

Há nisto também um componente biológico que gera uma percepção visual provocada pela ação de um feixe de fótons sobre células especializadas da retina, que transmitem uma imagem que é processada pelo nervo óptico no sistema nervoso. O olho humano possui dois tipos de células responsáveis por nos fazerem enxergar: os cones e os bastonetes. Os bastonetes são células que necessitam de pouca luz para ser sensibilizado. Entretanto não formam imagens ou coloridas. É por isso que a noite ou em locais escuro é muito difícil se distinguir cor. Os cones são sensibilizados com grande quantidade de luz e formam imagens nítidas e coloridas. Existem três tipos de cones: os azuis, os vermelhos e os verdes. O cone azul é ativado por ondas de comprimento que formam a cor azul, são ondas mais curtas, entre 380nm e 500nm. Os cones verdes se sensibilizam por ondas de comprimento do verde, são as ondas médias, 500nm e 650nm. Os cones vermelhos sensibilizam com ondas de comprimento do vermelho, chamadas de longas, entre 400nm e 700nm.

Assim, a cor vermelha, violeta e verde são as três cores que nossos olhos captam. Todas as outras cores que vemos são formadas a partir dessas três cores. Por isso essas elas são consideradas as cores primárias da visão e também da síntese aditiva de cor, ou cor luz. As TVs, monitores de computador, projetores multimídia funcionam baseados neste principio da física. Existe, também, a síntese subtrativa da cor, neste caso, falamos das cores magenta, ciano e amarelo, também chamadas de cores pigmento. Os impressos e as cores dos produtos usam este tipo de material para dar cor aos papéis ou produtos de qualquer outro material. Outra informação importante é saber que o branco, cinza e preto não se classifica como cor do ponto de vista da ciência, elas são chamadas de cor apenas pela população. Outra informação importante é que as cores exercem grande influência na comunicação visual. As cores provocam sensações nas pessoas e influenciam a propaganda e as vendas. Cores atraem ou repelem, relaxam ou excitam, podem ser neutras ou não, isto na propaganda é mais importante que abordar todas as classificações cientificas que as cores possuem. Então vamos às percepções cromáticas que já foram pesquisadas, reforço que estas percepções são traços culturais e podem mudar de região para região, ou de país para país.

Começaremos com o:
Vermelho: É uma cor que tem bastante energia. Faz a pessoa se sentir, ousada, poderosa, corajosa. Todos nós precisamos de um pouco de vermelho em nosso dia para nos motivar. Seus tons e matizes sugerem muitas características. Quando esta cor é usada com equilíbrio, seu efeito é muito positivo. Ela nos remete à força, ação, paixão, amor, movimento. É uma cor que aumenta a atenção, estimula os nossos olhos. Indicado para anúncios de artigos que indicam calor e energia, ginástica, perfumes e é preferida mais pelas mulheres que pelos homens. Para equilibrarmos esta cor devemos usar o verde claro, que vai transmitir um pouco de calma, ou o amarelo-dourado que significa sabedoria, o azul esfria um o vermelho, lógico que isto tem proporções a serem seguidas. Locais como teatros, restaurantes, bares e cassinos são ser deliberadamente decorados com vermelho, ou tendem ao vinho, pois esta cor estimula o nosso apetite e nos faz perder a noção do tempo.

Verde: É a cor do equilíbrio e da harmonia. Reduz o estresse e a tensão, pois baixa a pressão arterial nas pessoas. Ela está associada à autoestima e nos ajuda a fluir nos eventos, passa uma sensação de liberdade. Relaxa e repousa. Claro que se deve ter o cuidado ao usá-la sozinha, pois pode deixar o ambiente muito calmo. O verde-escuro proporciona uma sensação de força e estabilidade. O verde-claro é ótimo para crianças, que geralmente o adoram. Ele mexe com nossas emoções e nos ajuda a ser mais afetuosos. O verde-maçã indica uma casa onde se dá importância às crianças, à família e aos animais. Indicado para anúncios que caracterize o frio, azeites, verduras e semelhantes.
Abordarei aqui outras cores na próxima coluna.

Carpe Diem em cores!
Celso Negrão
Consultor e Educador Corporativo
www.celsonegrao.com.br

Da Redação | O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. | Celso Negrão



Leia mais em CBAnoticias.com